Donos de lojas virtuais apostam em outras opções de entrega - Thiago Programador

Donos de lojas virtuais apostam em outras opções de entrega

Donos de lojas virtuais apostam em outras opções de entrega

O serviço dos Correios vem sendo criticado frequentemente nos últimos anos, e isso ocorre principalmente devido a atrasos na entrega. Em algumas regiões, a situação é ainda mais grave pois, os Correios têm recusado realizar a entrega de mercadorias, enviando notificações aos moradores para que os mesmos compareçam à agência e recolham seus produtos.

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Comércio (ABComm) mostrou que, embora 92% dos e-commerces brasileiros utilizem o PAC (serviço de entrega econômico dos Correios), 43,9% consideram o serviço ruim ou péssimo. “Quando um cliente não recebe um produto, ou os Correios atrasam a entrega, o cliente acredita que a culpa é do e-commerce, que não tem nenhuma influência nos serviços de entrega”, isso é o que diz Sven Milharcic, dono de uma empresa de venda de banners online.

Um grande e-commerce pode contratar outras transportadoras para evitar os transtornos causados pelos Correios. Mas os micro e pequenos empresários, que vendem na internet, precisam inovar em suas soluções logísticas para prestar um serviço de qualidade e aumentar a taxa de fidelização de seus clientes.

Foi pensando nisso que João Cristofolini e dois sócios criaram uma startup para melhorar o serviço de entrega. A ideia é a seguinte, empresas físicas recebem encomendas de lojas virtuais e os compradores vão até o local fazer a retirada do produto. A startup recebe R$2,50 enquanto ponto físico recebe R$0,50 por entrega.

O valor que o ponto de entrega recebe pode parecer pequeno, mas essas lojas também ganham em divulgação. Pois, pessoas que moram por perto, que talvez não conhecessem o estabelecimento, acabam tendo contato com o local e veem o que o próprio ponto de retirada comercializa.

Segundo João Salves, dono de uma ótica em São Paulo, o fluxo de clientes aumentou de 5% a 10% desde que ele se cadastrou para ser um ponto de retirada. Para quem compra online também é uma boa opção:

-Quem trabalha e não tem ninguém em casa para recebimento da encomenda, não precisa se preocupar, pois os estabelecimentos funcionam durante o horário comercial.

-Se antes era preciso ir até a agência, longe da residência, e enfrentar filas para receber os produtos, agora é possível ir até pontos mais próximos da residência que, dificilmente terão grandes filas.

A startup já conta com 100 pontos ativos em São Paulo e no Rio de Janeiro e existem mais de mil pontos de retirada em processo de ativação.

Imagem do perfil do programador
Thiago Martins
Empreendedor em Thiago Programador. Tem formação nas áreas de Computação, Análise e Desenvolvimento de Softwares e Programação POO PHP, além de certificação para desenvolvimento de aplicativos móveis.
Google +
Minha página no facebook: Facebook